Mensagem psicografada por Alda Maria, na Reunião de Radiação, dia 11/04/2010.

Dizem-nos nossos superiores que uma das mais belas vestimentas do espírito eterno é tecida com os fios invisíveis da gratidão: fios do reconhecimento das dádivas recebidas do Alto; fios da compreensão da misericórdia do Pai; fios da fé, que emanam da confiança na presença de Jesus; fios invisíveis da obediência, que se enovelam às leis que demarcam o caminho do bem; fios da fraternidade, que unem os corações ao Coração Maior; fios da compaixão, que se estendem ao outro, sustentando conforme nos fala o Cristo. Fios e fios de amor, que tecem, à luz da esperança, a gratidão em todos os gestos do cristão declarado, seguidor do Mestre amado.

A virtude da gratidão, singela pela sua pureza, sugere àquele que a vivencia trabalho intenso no amor, testificando ao Senhor o justo reconhecimento pelas bênçãos das quais se faz merecedor.

Não existem trabalhos de assistência aos irmãos necessitados sem que algo tenham feito no sentido de contribuir, de alguma maneira, para o bem-estar do outro, o que já lhe faculta o amparo divino, propiciador de sua recuperação no setor da vida em que esteja cunhada sua dor e sua infelicidade.

A natureza retrata sua gratidão àquele que zela por ela e supre suas necessidades com o verdor dos campos, os frutos saborosos de suas árvores, o perfume e o colorido das flores que se espalham alegremente por suas planícies e prados. Assim também faça o homem grato a Deus Pai: irradie Sua mensagem, menos pelos discursos, que pouco ou nada convencem ao descrente, mas sempre pelo movimento reconciliatório de unir vibrações de afeto, transmitindo paz e serenidade aos corações assaltados pelas aflições e pelas angústias dos dias modernos.

Ser agradecido é ser humilde, simples, obediente, cônscio de seus deveres para com o Pai, para com o próximo e para consigo mesmo, com o objetivo de multiplicar as graças que dos céus descem em abundância sobre todos!

Netinho